sexta-feira, 21 de novembro de 2014

sábado, 11 de outubro de 2014

Jovens libertos do PT, PSOL e esquerdismo não querem saber de drogas e aborto. Jovens estão mais conservadores e preocupados com o futuro.

Jovens estão mais conservadores e preocupados com o futuro

Uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Pernambuco traçou o novo perfil dos estudantes universitários no estado.
Karla AlmeidaRecife
Tamanho da letra

Eles são contra a legalização das drogas. "Você tem que ver o melhor para a sociedade e o melhor não é a legalização", afirma a universitária Catalina Carvalho. Sonham com a estabilidade no mercado de trabalho. "Por isso que tanta gente está indo para o lado do concurso. Para ver se consegue viver bem", diz a estudante Tatiane Mendes. E acham que a lei seca deve mesmo impor limites ao uso do álcool. "A pessoa que consome bebidas alcoólicas dirige e expõem a vida dos outros e a própria em risco. Eu acho que está correto", afirma o universitário Tiago Sales.

Nada de rebeldia, nem de inconformismo. O comportamento dos jovens está mudando. Eles estão mais conscientes e preocupados, não só com o futuro, mas com as questões do dia a dia.

Pelo menos é o que mostra uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Pernambuco. Um estudo que traçou o novo perfil dos estudantes universitários no estado.

A pesquisa ouviu 600 estudantes na faixa de 22 anos de universidades públicas e particulares de Recife. O resultado surpreendeu, contrariou alguns conceitos e revelou que os jovens estão muito mais conservadores do que se imaginava.

81% dos entrevistados discordam da liberação da maconha, 76% são contra o aborto, a não ser em casos de estupro e risco à saúde, e 68% dos jovens ouvidos na pesquisa acham que não há melhor programa de lazer do que a prática de esportes e a ida à praia, teatros e cinemas.
"O comportamento hoje é outro. É um comportamento de aceitação das leis e a gente vê questões como a religião influenciando muito na vida dos jovens", explica o coordenador da pesquisa, Pierre Lucena.

Para os especialistas, o acesso ao conhecimento e à educação faz com que os jovens desenvolvam senso crítico e responsabilidade e nesse caso, o conservadorismo pode ter efeitos positivos.

"Nós temos jovens com perspectivas de vida e esses jovens podem ser a grande esperança do nosso país", diz a psicóloga Irinéia Catarino.

Clique aqui e veja a pesquisa completa.

Fonte: http://g1.globo.com/jornalhoje/0,,MUL1268367-16022,00-OS+JOVENS+ESTAO+MAIS+CONSERVADORES+E+PREOCUPADOS+COM+O+FUTURO.html

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

(Neste governo petista e secularista) - O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) considerou que o totem contendo a frase “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo” é inconstitucional. "Então vamos proibir o nome de São Paulo por ser um santo cristão".

(Neste governo petista e secularista) - O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) considerou que o totem contendo a frase “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo” é inconstitucional. "Então vamos proibir o nome de São Paulo por ser um santo cristão".

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://corrupcaojuridica.blogspot.com.br/2014/10/neste-governo-petista-e-secularista-o.html

Protestamos contra o (Governo Petista) Ministério Público Eleitoral (promotora Juliana Martins Zaupa) na perseguição aos irmãos Batistas e seu Pastor Luiz Gomes de Sousa por evangelizar no dia da eleição

Protestamos contra o (Governo Petista) Ministério Público Eleitoral (promotora Juliana Martins Zaupa) na perseguição aos irmãos Batistas e seu Pastor Luiz Gomes de Sousa por evangelizar no dia da eleição 

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://corrupcaojuridica.blogspot.com/2014/10/protestamos-contra-o-governo-petista.html

sábado, 13 de setembro de 2014

domingo, 29 de junho de 2014

Sugestão de leitura: O Verdadeiro Che Guevara - e os idiotas úteis que o idolatram - Acompanha um DVD com o documentário: "GUEVARA: anatomia de um mito" by Humberto Fontova (Jornalista, cientista político e mestre em estudos latino-americanos pela Universidade de Tulane e fugitivo de Cuba)

Sugestão de leitura: O Verdadeiro Che Guevara - e os idiotas úteis que o idolatram - Acompanha um DVD com o documentário: "GUEVARA: anatomia de um mito" by Humberto Fontova (Jornalista, cientista político e mestre em estudos latino-americanos pela Universidade de Tulane e fugitivo de Cuba)

Clique no link abaixo para acessar maiores informações:
http://historiareformacional.blogspot.com.br/2014/06/sugestao-de-leitura-o-verdadeiro-che.html 

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Estudantes da Venezuela pedem socorro ao Brasil - (O Socialismo na Prática)

Estudantes da Venezuela pedem socorro ao Brasil

Resposta do governo de Dilma Rousseff: silêncio

Julio Severo
Líderes estudantis venezuelanos vieram ao Brasil para revelar os graves abusos de direitos humanos cometidos pelo sucessor de Hugo Chávez, Nicolás Maduro. Eles também denunciaram a intromissão de Cuba na Venezuela. O objetivo de sua curta missão no Brasil é bem simples: pedir socorro ao Brasil.
Jovens venezuelanos com Dra. Damares Alves
Os jovens que vieram foram:
Gabriel Lugo: presidente do Centro de Estudantes de Arquitetura da Universidade Central da Venezuela, campus de Barquisimeto.

Eusebio Costa: presidente de Centro de Estudantes da Universidade Católica Santa Rosa, de Caracas.

José Martínez: conselheiro da Faculdade de Ciências Jurídicas e Políticas da Universidade Central da Venezuela, Caracas.
Eles chegaram ao Brasil na segunda-feira à noite. Na terça-feira, estiveram na Universidade de São Paulo (USP). Ali, estudantes brasileiros a favor do chavismo protestaram contra os jovens venezuelanos e houve certa tensão.
Eles vieram ao Brasil com muito sacrifício. Outros estudantes na Venezuela fizeram vaquinhas e pessoas da sociedade também ajudaram para que eles pudessem comprar a passagem
Eles viriam em cinco, mas um foi preso antes de embarcarem para o Brasil e outro, receoso, não embarcou. No final, só vieram três.
Eles vieram para buscar ajuda na USP e no Congresso Nacional. Devido ao radicalismo esquerdista na USP, o grito de socorro deles mal foi ouvido.
No Congresso eles só tiveram apoio e espaço, além do PSC, graças à intervenção do Dep. Aroldo Oliveira e da Dra. Damares Alves. Com a documentação dos jovens, o deputado denunciou da tribuna (neste vídeo http://youtu.be/VG39uyvGRUA) o massacre de cidadãos venezuelanos nas mãos de um dos regimes mais tirânicos do continente americano.

Segundo sua denúncia, desde a instalação do regime chavista na Venezuela mais de 200 mil venezuelanos foram mortos.
Através da voz do Dep. Arolde, o grito de socorro de três jovens cristãos venezuelanos foi ouvido dentro do Congresso Nacional.
A agenda e organização desses estudantes em Brasília foi feita pelo Partido Social Cristão (PSC). Tudo cuidadosamente planejado e mantido em sigilo, para que tanto o governo venezuelano quanto seus aliados no governo brasileiro não impedissem a missão dos jovens em Brasília
Com a ajuda do Pastor Everaldo Dias e outros líderes dos PSC, os estudantes da Venezuela se encontraram com vários deputados e senadores, inclusive com o presidente do Senado e o presidente da Câmara dos Deputados, e depois foram defendidos, em Plenário, por senadores que pediram ao ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, proteção em sua volta para casa.
— Eles denunciam que do nosso país são enviadas armas, armas fabricadas no Brasil, que estão sendo vendidas à Venezuela e utilizadas na repressão às manifestações populares naquele país — informou o senador Alvaro Dias (PSDB-PR).
Alvaro Dias pediu ao ministro que acione a Embaixada do Brasil na Venezuela para receber os três estudantes já no aeroporto de Caracas, no próximo sábado (10), quando eles retornam a seu país. Segundo o senador, por terem vindo ao Brasil denunciar os abusos do governo venezuelano, eles estão sujeitos tanto ao risco de violência, como ao de serem presos ilegalmente, assim que chegarem em casa.
— O governo brasileiro tem a obrigação de estender a mão ao povo venezuelano nesta hora tão difícil — cobrou o senador Eduardo Amorim (PSC-SE), acrescentando que os estudantes vieram ao Brasil em uma atitude de desespero, na tentativa de evitar mais mortes em seu país.
Em Plenário, o senador Magno Malta (PR-ES) cobrou da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) que ouça os relatos dos três jovens. Eles contaram aos parlamentares que mais de 250 mil pessoas morreram nos últimos 12 anos e que o país enfrenta hoje repressão e escassez de alimentos.
— O que faremos? Tiramos uma foto com eles e não fazemos nada? — questionou.
Por onde passaram no Congresso, os jovens pediram socorro.
Eles denunciaram que a Venezuela vem sofrendo intromissões escandalosas de Cuba, inclusive com a presença de agentes das Forças Armadas cubanas dentro do Exército venezuelano, desde o governo de Hugo Chávez [1999-2013].
“A participação de Cuba vem de muito tempo. Hoje temos bandeiras cubanas içadas em instituições públicas na Venezuela. A ingerência militar cubana é anticonstitucional. Nenhum país pode permitir outro país de mandar no seu próprio exército,” disse Gabriel Lugo.
Eles também denunciaram a importação de médicos cubanos à Venezuela — modelo também adotado no Brasil em 2013 pelo governo de Dilma Rousseff.
Para assistir ao pedido de socorros dos jovens venezuelanos, clique nestes links:
Pessoas inocentes estão morrendo na Venezuela e o povo brasileiro precisava saber a verdade.
Há anos o regime chavista está assassinando pessoas, e um dos grandes representantes evangélicos do Brasil, Ariovaldo Ramos, visitou a Venezuela duas vezes no passado para dar apoio ao ditador Hugo Chávez. No ano passado, Ariovaldo lamentou publicamente a morte do ditador, dizendo: “o melhor que se pode dizer de alguém é que, porque ele passou por aqui, o mundo ficou melhor! Isso se pode dizer de Hugo Chávez!”
Se esse elogio tivesse vindo de Fidel Castro, a múmia ditadora de Cuba, ninguém estranharia. Mas vindo de um pastor reformado que tem amplo espaço em meios reformados, presbiterianos e calvinistas — inclusive a Universidade Presbiteriana Mackenzie, considerada por alguns como bastião de indeterminado conservadorismo — é de assustar.
Em vez de dar espaço para evangélicos esquerdistas como Ariovaldo, Ricardo Bitun e outros, o Mackenzie bem que poderia dar oportunidade para os três jovens venezuelanos. Assim, eles não precisariam ser repudiados por estudantes esquerdistas da USP, os quais desconhecem o que é viver num regime que mata os inocentes e tapa a boca das vítimas.
Gabriel Lugo, Eusebio Costa e José Martínez conseguiram, totalmente desprotegidos e agora ameaçados por seu governo, vir ao Brasil e quebrar o silêncio imposto por uma tirania comunista. Eles mostraram ao Brasil que Hugo Chávez e seu legado político infernal não deixaram o mundo melhor. E, definitivamente, não deixaram a Venezuela melhor.
De acordo com a Folha de S. Paulo, Lugo disse acreditar que, se os brasileiros soubessem das violações de direitos humanos na Venezuela, não deixariam o governo do Brasil apoiar o chavista Nicolás Maduro. “Acredito que o Poder Executivo do Brasil não recebe as informações verdadeiras do que se passa na Venezuela. Se recebe está errado em apoiar esse regime ditatorial [de Maduro],” disse Lugo.
O Congresso Nacional agora tem as informações necessárias para cobrar a indecente união do governo brasileiro com o governo venezuelano.
O que se espera agora é que o Congresso não se omita nem seja conivente com a mortes e com a violação de direitos humanos na Venezuela.
A vinda dos jovens ao Brasil, durando de segunda até a próxima sexta, tem sido a maior manifestação de venezuelanos fora da Venezuela.
A Dra. Damares disse: “Temo pela vida do Gabriel, do Vicente e do Eusébio no retorno, são meninos, são tão jovens, mas movidos por uma coragem invejável. O PSC fez uma favor à Venezuela, ao Brasil e ao mundo.”
Com informações de Damares Alves, Agência Senado e Folha de S. Paulo.
Leitura recomendada:

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Dicas Para Colocar a Tecnologia em seu Lugar e Recuperar o Controle de sua Vida

Dicas Para Colocar a Tecnologia em seu Lugar e Recuperar o Controle de sua Vida

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://tecnologiareformacional.blogspot.com.br/2014/05/dicas-para-colocar-tecnologia-em-seu.html

A Diferença entre Adoração Congregacional e um Show

A Diferença entre Adoração Congregacional e um Show

ADiferencaEntreAdoracaoCongregacionalEUmShow

John Piper, escrevendo em 2008:
Treze anos atrás, nós perguntávamos: qual deveria ser o som que define a adoração pública na Bethlehem, além da voz da pregação bíblica?
Nós queríamos dizer: deve ser órgão, piano, guitarra, bateria, coral, equipe de louvor, orquestra, etc.? A resposta que demos foi: “os membros da Bethlehem cantando”.
Alguns pensaram: isso não ajuda muito a decidir quais instrumentos devem ser usados. Talvez não. Mas ajuda absurdamente a esclarecer o significado de tais momentos.
Se a Bethlehem não está “entoando e louvando de coração ao Senhor” (Efésios 5.19), então está tudo acabado. Nós declaramos falência e fechamos. Este não é um compromisso pequeno.
James K. A. Smith, escrevendo ano passado, fez uma declaração semelhante. Enquanto pode haver algumas exceções ao que ele diz aqui, penso que é totalmente correto em relação ao principal impulso da adoração congregacional cristã.

1. Se nós, a congregação, não podemos nos ouvir, não é adoração.

Adoração cristã não é um show. Em um show (uma “forma de apresentação” particular), nós frequentemente esperamos ser completamente imersos no som, especialmente em certos estilos de música. Em um show, nós esperamos aquela estranha espécie de privação sensorial que acontece com a sobrecarga sensorial, quando o golpe do baixo em nosso peito e a onda de música sobre a multidão nos deixa com uma sensação de vertigem auricular. E não há nada errado com shows! Só que a adoração cristã não é um show. A adoração cristã é uma prática coletiva e pública — e o som unificado e a harmonia da congregação cantando junta são essenciais à prática da adoração. É uma maneira de “apresentar” a realidade de que, em Cristo, somos um corpo. Mas isso requer que, de fato, sejamos capazes de ouvir nós mesmos e nossos irmãos e irmãs cantando conosco. Quando o som amplificado do grupo de louvor supera as vozes da congregação, não podemos ouvir nós mesmos cantando — então perdemos o aspecto público da congregação e somos encorajados a efetivamente nos tornarmos adoradores “particulares” e

2. Se nós, a congregação, não podemos acompanhar, não é adoração.

Em outras formas de apresentação musical, os músicos e as bandas irão querer improvisar e “ser criativos”, oferecendo novas adaptações e exibindo sua virtuosidade com todo o tipo de firulas, pausas e improvisações sobre o tom recebido. Novamente, esse pode ser um aspecto prazeroso de um show, mas na adoração cristã isso só significa que nós, a congregação, não podemos acompanhar. Então sua virtuosidade dá lugar à nossa passividade; sua criatividade simplesmente encoraja nosso silêncio. E enquanto você pode estar adorando com sua criatividade, a mesma criatividade, na verdade, cala a canção congregacional.

3. Se vocês, o grupo de louvor, estão no centro da atenção, não é adoração.

Eu sei que normalmente não é sua culpa que o tenhamos colocado na frente da igreja. E eu sei que você quer ser modelo de adoração para que nós o imitemos. Mas por termos encorajado você a basicamente importar formas de apresentação do meio artístico para o santuário, podemos não perceber que também involuntariamente encorajamos um senso de que você está no centro da atenção. E quando sua performance se torna uma demonstração da sua habilidade — mesmo com a melhor das intenções — é difícil contrariar a tentação de fazer do grupo de louvor o foco da nossa atenção. Quando o grupo de louvor toca longos períodos instrumentais, os quais podem ser considerados pelo próprio grupo como “ofertas para Deus”, nós, a congregação, nos tornamos completamente passivos, e por termos adotado hábitos de tomarmos como exemplo a música dos Grammys e do meio artístico, nós involuntariamente fazemos de vocês o centro da atenção. Pergunto-me se pode haver alguma reflexão intencional a respeito da localização (ao lado? Liderar o louvor de trás?) e da performance que possa nos ajudar a contra-atacar tais hábitos que trazemos conosco para a adoração.
OriginalThe Difference between Congregational Worship and a Concert. Site: thegospelcoalition.org Copyright © 2014 The Gospel Coalition.
Tradução: Alan Cristie; Original: A Diferença entre Adoração Congregacional e um Show
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Fonte via:
http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/05/a-diferenca-entre-adoracao-congregacional-e-um-show/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+voltemosaoevangelho+%28Voltemos+ao+Evangelho%29

terça-feira, 8 de abril de 2014

segunda-feira, 31 de março de 2014

(Vídeo/Áudio) - Nome de brasileiros (esquerdistas) patrocinado pela KGB para promover desinformação

(Vídeo/Áudio) - Nome de brasileiros (esquerdistas) patrocinado pela KGB para promover desinformação

(Vídeo/Áudio) - O filósofo Olavo de Carvalho falou na Rádio Vox sobre o nome de brasileiros que aparecem no arquivos da polícia secreta tchecoslovaca, a StB. 14 de março de 2014 - www.radiovox.org

Clique no link abaixo para acessar o conteúdo:
http://historiareformacional.blogspot.com.br/2014/03/video-o-filosofo-olavo-de-carvalho.html

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

As “conquistas” do feminismo - (Escritora americana Camille Paglia, autora de Personas Sensuais)

As “conquistas” do feminismo - (Escritora americana Camille Paglia, autora de Personas Sensuais)

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:http://generoediversidadenaescola.blogspot.com.br/2014/02/as-conquistas-do-feminismo-escritora.html

Em defesa do casamento by Rodrigo Constantino - Em tempos de Carnaval e hedonismo, de apetites e emoções como os únicos guias das ações individuais, de promiscuidade total, não deixa de ser confortante ler uma visão clássica sobre o bom e velho casamento..."

Em defesa do casamento by Rodrigo Constantino - Em tempos de Carnaval e hedonismo, de apetites e emoções como os únicos guias das ações individuais, de promiscuidade total, não deixa de ser confortante ler uma visão clássica sobre o bom e velho casamento..."
Em defesa do casamento by Rodrigo Constantino - Em tempos de Carnaval e hedonismo, de apetites e emoções como os únicos guias das ações individuais, de promiscuidade total, não deixa de ser confortante ler uma visão clássica sobre o bom e velho casamento..."

"...Em tempos de Carnaval e hedonismo, de apetites e emoções como os únicos guias das ações individuais, de promiscuidade total, não deixa de ser confortante ler uma visão clássica sobre o bom e velho casamento. Que seja eterno enquanto dure. E que dure para sempre!"

Clique no link abaixo para acessar o artigo:
http://familiacalvinista.blogspot.com.br/2014/02/em-defesa-do-casamento-by-rodrigo.html

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

(Vídeo) - Quem financia a esquerda mundial?

(Vídeo) - Quem financia a esquerda mundial?

Um excelente vídeo de 12 minutos mostrando as principais empresas e fundações que financiam a esquerda mundial.


Legendado (Português):


http://generoediversidadenaescola.blogspot.com.br/2014/02/video-quem-financia-esquerda-mundial.html

sábado, 1 de fevereiro de 2014

(Vídeo) - Conferência Fiel Jovens 2014 - Escravo: Rendendo-se ao Senhorio de Cristo





ConfJovens2014
“Vocês foram libertados do pecado e tornaram-se escravos da justiça.” (Romanos 6:18)
Venha refletir conosco sobre este importante tema! Será uma excelente oportunidade para você estudar a Palavra de Deus, orientado por experientes e humildes pastores que o ajudarão a entender as exortações e os ensinamentos bíblicos para a sua vida.

http://www.ministeriofiel.com.br/jovens/2014/

Escravo - Rendendo-se ao Senhorio de Cristo

http://www.ministeriofiel.com.br/jovens/2014/

http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/01/conferencia-fiel-para-jovens-2014/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+voltemosaoevangelho+%28Voltemos+ao+Evangelho%29


Publicado em 03/06/2013
Inscreva-se: http://www.ministeriofiel.com.br/jove...

A Conferência Fiel Jovens 2014 abordará o tema "Escravo: Rendendo-se ao Senhorio de Cristo", com o propósito de levar o jovem a pensar sobre sua nova identidade em Cristo, para que viva de acordo com a vontade de Deus e não mais segundo os seus próprios interesses.

Fomos comprados pelo precioso sangue de Jesus, por isso, como afirmou Paulo, somos libertos do pecado e nos tornamos escravos da justiça. Vivemos para glorificá-lo. Como verdadeiros cristãos, essa deve ser a nossa postura diante do Senhor.

Venha refletir conosco sobre este importante tema! Será uma excelente oportunidade para você estudar a Palavra de Deus, orientado por experientes e humildes pastores que o ajudarão a entender as exortações e os ensinamentos bíblicos para a sua vida.

"Vocês foram libertados do pecado e tornaram-se escravos da justiça." - Romanos 6:18

Preletores:

Jáder Borges
Clodoaldo Machado
R. W. Glenn
Jonas Madureira

Data: 1 a 4 de Maio, 2014
Local: Estância Palavra da Vida -- Atibaia - SP


Ministério Fiel: http://www.ministeriofiel.com.br
Editora Fiel: http://www.editorafiel.com.br
Voltemos ao Evangelho: http://voltemosaoevangelho.com/blog/
Facebook: http://www.facebook.com/EditoraFiel
Twitter: http://twitter.com/#!/EditoraFiel



Preletores



Jáder Borges

Jáder Borges

É pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil em São José dos Campos, SP. Estudou no seminário do Recife e na Theologische Hochschule Ewersbach, na Alemanha. Promove o congresso infantil Pequenos Passos.

Clodoaldo Machado

Clodoaldo Machado

É pastor da Igreja Batista Parque Industrial em São José dos Campos, SP. É bacharel em Teologia pelo Cetevap, pós-graduado em Aconselhamento Bíblico pela Faculdade Teológica de Campinas e pelo Southeastern Baptist Seminary (EUA).

R. W. Glenn

R. W. Glenn

É pastor da Redeemer Bible Church, desde 2002. Serviu por mais de sete anos como um dos pastores da Calvary Baptist Church, em East Millstone, NJ. Glenn vive em Eden Prairie, Minessota (EUA), com sua esposa e filhos.

Jonas Madureira

Jonas Madureira

É pastor da igreja batista Fonte de Sicar em São Paulo, capital. Fez seu bacharel em teologia pelo Betel Brasileiro e pelo Mackenzie. Mestre em filosofia pela PUC-SP e doutorando em filosofia pela USP. É professor de filosofia na Faculdade Teológica Batista (SP), no Servo de Cristo e no Betel Brasileiro.



segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Evangélicos Encontram-se no Meio de um Avivamento Calvinista – Mark Oppenheimer (The New York Times)

Evangélicos Encontram-se no Meio de um Avivamento Calvinista – Mark Oppenheimer (The New York Times)

Postado em 08/01/2014
times-calvinismo
 
Para aqueles que estão tristes com o fim do quiz de fim de ano, aqui está uma pergunta para começar 2014: Se você tivesse se unido a uma igreja que prega uma teologia da Tulip, isso significa que: a) o pastor coloca flores no pão da ceia; b) o pastor crê que as flores que surgem novamente toda primavera simbolizam a ressurreição; ou c) o pastor é um calvinista?
 
Como um número cada vez maior de cristãos sabe, a resposta é a letra “c”. O acrônimo [em inglês] resume as chamadas doutrinas da graça de João Calvino, com sua ênfase na pecaminosidade e na predestinação. O “T” significa a Total Depravação do homem. O “U” significa a Eleição Incondicional, que quer dizer que Deus já decidiu quem será salvo, independente de qualquer condição na própria pessoa, ou em qualquer coisa que ela possa fazer para conquistar sua salvação.
O acrônimo não fica mais animador depois.
 
O evangelicalismo está no meio de um avivamento calvinista. Números cada vez maiores de pregadores e professores ensinam as visões do reformador francês do século 16. Mark Driscoll, John Piper e Tim Keller — pregadores de megaigrejas e importantes escritores evangélicos — são todos calvinistas. A frequência em conferências e igrejas de influência calvinista está em alta, especialmente entre os fiéis nas casas dos 20 e 30 anos de idade.
 
Na Southern Baptist Convention (Convenção Batista do Sul), a maior denominação protestante dos Estados Unidos, a ascensão do calvinismo provocou discórdia. Em 2012, uma pesquisa abrangendo 1.066 pastores batistas do sul conduzida pela LifeWay Research, um grupo sem fins lucrativos associado à Southern Baptist Convention, 30% consideraram suas igrejas calvinistas, enquanto que 60% estavam preocupados “com o impacto do calvinismo”.
 
Calvinismo é uma orientação teológica, não uma denominação ou organização. Os puritanos eram calvinistas. Os presbiterianos são provenientes dos calvinistas escoceses. Muitos batistas primitivos eram calvinistas. Mas no século 19 o protestantismo se moveu em direção à crença não-calvinista de que os seres humanos devem consentir com sua própria salvação —  uma crença otimista e americana por excelência. Hoje, nos Estados Unidos, uma grande denominação (a Presbyterian Church in America) é assumidamente calvinista.
 
Mas mais ou menos nos últimos 30 anos, os calvinistas têm ganhado proeminência em outros ramos do protestantismo e em igrejas que costumavam dar pouca importância à teologia. Em 1994, quando Mark Dever foi entrevistado na Capitol Hill Baptist Church, uma igreja batista do sul em Washington, o comitê de seleção nem mesmo teve que pergunta-lo a respeito de sua teologia.
 
“Então eu disse: ‘Deixe-me pensar no que vocês não gostariam em mim se soubessem’”, lembra Dever. E lhes contou que ele era um calvinista. “E eu tive que explicar para eles o que isso significava. Eu não queria que minha família se mudasse para cá e eu acabasse perdendo o emprego”.
Dever, 53, disse que quando assumiu em 1994, cerca de 130 membros frequentavam aos domingos, e a idade média deles era entre os 70 anos. Hoje igreja recebe cerca de 1.000 fiéis, com uma idade média entre os 30 anos. E embora Dever tenda a não mencionar Calvino em seus sermões, seu educado público, muitos dos quais trabalham na política, sabe e gosta do que está ouvindo.
 
“Penso que é perceptível em seu ensino”, diz Sarah Rotman, 34, que trabalha para o World Bank. “O foco real é na Escritura, e que todas as respostas que buscamos nesta vida podem ser encontradas na palavra de Deus. Em muitas de suas pregações, ele realmente fala sobre nossa pecaminosidade e nossa necessidade do Salvador”.
Tal foco na pecaminosidade difere muito do evangelicalismo popular dos últimos anos. Ele corre na contramão dos pregadores do “evangelho da prosperidade”, que insinuam que a fé pode tornar uma pessoa rica. Ele não soa nada como as afirmações que apelam às emoções de pregadores e escritores como Joel Osteen, que tratam a Bíblia como um livro de autoajuda ou um guia para melhorar os negócios.
 
“O que você ouve em algumas megaigrejas é: ‘Deus quer que você seja um bom pai, e aqui há sete formas em que Deus pode lhe ajudar a ser um bom pai’”, diz Collin Hansen, autor de “Young, Restless, Reformed: A Journalist’s Journey With the New Calvinists” [“Jovens, Incansáveis, Reformados: A Jornada de um Jornalista com os Novos Calvinistas”]. “Ou: ‘Deus quer que você tenha um bom casamento, então aqui estão três maneiras de fazer isso’”. Em contraste, Hansen diz que aqueles que frequentam igrejas calvinistas querem que o pregador “fale sobre Jesus”.
 
Alguns não-calvinistas dizem que a ascensão do calvinismo foi alcançada, em parte, através de métodos sorrateiros. Roger E. Olson, um professor da Baylor University e autor de “Contra o Calvinismo” (Editora Reflexão), é o crítico mais franco do calvinismo.
 
“Uma das preocupações é que novos formandos de certos seminários batistas tenham se infiltrado em igrejas que não são calvinistas, e não contando às igrejas ou aos comitês de seleção, que não são calvinistas”, diz o professor Olson. De acordo com o que ele ouviu, jovens pregadores “esperam vários meses e depois começam encher a biblioteca da igreja com livros” de calvinistas como John Piper e Mark Driscoll. Eles criam turmas especiais com tópicos calvinistas, diz ele, e colocam na liderança da igreja aqueles que são calvinistas como eles.
 
“Frequentemente a igreja acaba se dividindo, com os não-calvinistas começando sua própria igreja”, diz o professor Olson.
 
Em sua reunião anual em junho, a Southern Baptist Convention recebeu um relatório de seu Comitê Consultivo de Calvinismo, que abordou acusações tanto de preconceito anticalvinista dentro da denominação quanto de má fé de calvinistas.
 
“Devemos esperar que todos os candidatos para posições ministeriais na igreja local sejam completamente sinceros dispostos quanto às questões da fé e da doutrina”, diz o relatório.
 
Embora muitos neocalvinistas mantenham-se longe da política, eles geralmente tomam posições conservadoras quanto às Escrituras e a questões sociais. Muitos não creem que as mulheres devam ser pastoras ou presbíteras. Mas Serene Jones, presidente do Union Theological Seminary, diz que a influência de Calvino não era limitada aos conservadores.
 
Cristãos liberais, incluindo alguns congregacionalistas e presbiterianos liberais, podem também assumir outros aspectos dos ensinos de Calvino, diz a Dra. Jones. Ela mencionou a crença de Calvino de que o “engajamento cívico é a principal forma de obediência a Deus”. Ela adiciona que, diferentemente de muitos conservadores de hoje, “Calvino não lia a Escritura literalmente”. Frequentemente Calvino “está citando-a incorretamente, e ele inventa passagens da Escritura que não existem”.
 
Brad Vermurlen, um aluno bacharel da Universidade Notre Dame escrevendo uma dissertação sobre os novos calvinistas, diz que a ascensão do calvinismo foi real, mas que a comoção deve diminuir.
 
“Dez anos atrás, todos falavam da ‘igreja emergente’”, diz Vermurlen. “E cinco anos atrás, as pessoas estavam falando da ‘igreja missional’. E agora do ‘novo calvinismo’. Eu não quero dizer que o novo calvinismo seja uma mania, mas me pergunto se é uma daquelas coisas que os evangélicos americanos querem falar a respeito por cinco anos, e depois continuar vivendo suas vidas e plantando suas igrejas. Ou é algo que veremos daqui a 10 ou 20 anos?”
OriginalEvangelicals Find Themselves in the Midst of a Calvinist Revival – Mark Oppenheimer (The New York Times). Por Mark Oppenheimer. © 2014 The New York Times Company
 
Tradução: Alan Cristie – Ministério Fiel © Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com. Original: Evangélicos Encontram-se no Meio de um Avivamento Calvinista – Mark Oppenheimer (The New York Times)
 
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Fonte: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/01/evangelicos-encontram-se-no-meio-de-um-avivamento-calvinista-mark-oppenheimer-the-new-york-times/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+voltemosaoevangelho+%28Voltemos+ao+Evangelho%29